Notícias
INTEGRAÇÃO
Saúde discute escorpião em encontro regional com Mais Médicos
30/08/2017 | 18h18
Saúde discute escorpião em encontro regional com Mais Médicos

 

O secretário de Saúde de Limeira, Gerson Hansen Martins, participou nesta quarta-feira (30) do Locorregional do Programa Mais Médicos, que ocorreu na sede da Secretaria de Educação. O encontro recebeu a participação de mais de 150 profissionais dos municípios de Charqueada, Conchal, Cordeirópolis, Engenheiro Coelho, Iracemápolis, Itirapina, Leme, Pirassununga, Rio Claro, Santa Cruz da Conceição, Santa Gertrudes e São Pedro, além de Limeira. Segundo a coordenadora do programa pela Prefeitura de Limeira, Giovana D'Andréa De Nardi Bühl, que falou sobre o “e-SUS”, o evento teve como objetivo acolher os médicos recém-integrados e discutir assuntos de interesse à prática clínica, dentre eles, a prevenção ao escorpião e o atendimento às vítimas. O tema foi inserido no encontro a pedido do secretário, em razão do número de acidentes envolvendo o aracnídeo, que contabiliza 73 ocorrências no segundo semestre deste ano, incluindo uma vítima fatal.

 

A bióloga da Divisão de Zoonoses, Daniela Coelho Terossi, falou sobre a biologia do escorpião e relatou que os acidentes ocorrem quando o animal procura se defender. “São animais terrestres, de hábitos noturnos, carnívoros e que se alimentam principalmente de baratas”, disse. Ela informou, ainda, que há 1.600 espécies de escorpião no mundo, mas em Limeira são encontradas duas delas: a T. serrulatus e a T. bahiensis, respectivamente, conhecidas como escorpião amarelo e escorpião preto. “Ambas as espécies são venenosas e ocorrem em todo o município, desde o centro até áreas mais periféricas.”

 

Uma das características do escorpião amarelo, segundo a bióloga, é que só existem fêmeas e elas não necessitam de macho para se reproduzir, fenômeno que facilita sua dispersão. Tanto o escorpião amarelo quanto o preto geram duas ninhadas por ano, de aproximadamente 20 indivíduos cada uma. Ela citou, ainda, que a falta de predadores e a facilidade de adaptação ao meio urbano também facilitam a ocorrência do animal. “É preciso adotar ações preventivas, como vedar frestas, remover materiais inservíveis, recolher folhas secas e não deixar lixo exposto”, frisou.

 

Já o chefe da Divisão de Saúde Básica da prefeitura, Lucas dos Santos, ressaltou que o hospital de referência para o atendimento às ocorrências é a Santa Casa, que possui o soro antiescorpiônico. No entanto, ele observou que a aplicação do produto é recomendada apenas para casos graves e que, nas demais situações, o procedimento a ser adotado é o bloqueio com anestésico. “Em caso de acidente, o local deve ser lavado apenas com água e sabão, e a vítima, encaminhada para atendimento médico”. Ele recomendou, ainda, que a área atingida não deve receber nenhum tipo de creme ou pomada e que apenas o médico pode indicar o tratamento adequado.

 

Outro tema abordado durante o Locorregional foi o aleitamento materno. A médica Fátima Lotufo listou os benefícios da amamentação, como diminuição do sangramento pós-parto, redução da incidência de câncer de mama e de ovário, fortalecimento de vínculos entre o bebê e a mãe, proteção contra infecções e alergias, desenvolvimento da fala e da dentição, entre outros. A médica enfatizou, ainda, o potencial de sustentabilidade ambiental da amamentação, considerando-se que o leite materno é um alimento completo. “É preciso diminuir o uso de mamadeiras e de embalagens de leite, que levam mais de 100 anos para se decompor”, disse. O empoderamento feminino presente no ato de amamentar também foi observado pela médica, ao falar sobre a importância do apoio de toda a família nesse processo. “A amamentação de leite materno deve ser exclusiva até os seis meses”, mencionou.

 

O programa foi encerrado pela psiquiatra, professora da Faculdade de Medicina da Unicamp e supervisora do Mais Médicos em Limeira, Ana Maria Oda, que discorreu sobre o tema “Manejo farmacológico e não-farmacológico dos Transtornos Mentais Comuns, com ênfase para ansiedade, depressão, somatização e insônia”. O evento contou, ainda, com a presença da tutora do Mais Médicos pela da Unicamp, Maria da Graça Andrade.

 

Notícias recomendadas para você
BUSCAR NOTÍCIAS