Notícias
MEIO AMBIENTE
Prefeitura planta árvores nativas e frutíferas em entrada da cidade e inicia Floresta Urbana
13/09/2017 | 18h57
Prefeitura planta árvores nativas e frutíferas em entrada da cidade e inicia Floresta Urbana

A secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente realizou na manhã desta quarta-feira (13) o plantio de 56 árvores nativas nos canteiros da Av. Mal. Arthur da Costa e Silva, na região da rotatória da Taba do Brasil, sentido do acesso à rodovia Anhanguera. A ação contou com a participação de 30 atiradores do Tiro de Guerra 02-020. "Faz parte de nosso plano de gestão, participar deste plantio é um ato de cidadania e aflora ainda mais em nossa tropa e também na população o significado do pertencimento, de cuidar do que é nosso", comentou o sargento Daniel Fontoura, Instrutor do TG.


A iniciativa faz parte do Programa Municipal de Floresta Urbana, além de atender os requisitos do Programa Município Verde Azul, do governo do Estado, uma adesão voluntária de Limeira. O prefeito Mario Botion acompanhou o início dos trabalhos e agradeceu aos atiradores pelo empenho e parceria. "Muito importante este compromisso assumido pela tropa do Tiro de Guerra na execução destes trabalhos de plantio. Uma atitude muito digna", comentou o prefeito.


As mudas plantadas nos canteiros laterais são de espécies frutíferas nativas e no canteiro central espécie ornamental nativa(Ipê amarelo) ."Esta nossa ação tem também o objetivo de proporcionar um melhor equilíbrio ambiental, inclusive atraindo variadas espécies de pássaros para a região. Caminhamos a passos largos para evoluir neste setor", afirmou Paulo Trigo, secretário da pasta.


As espécies plantadas foram: Araçá (Psidium cattleyanum), Cambui Amarelo (Myrtus Alba), Cereja do Rio Grande (Eugenia involucrata), Barbatimão (Stryphnodendron adstringens) e o Ipê amarelo cascudo (Handroanthus chrysotrichus).
O objetivo da implantação de Florestas Urbanas é se tornar referencial urbanístico com importante caráter social, político, econômico, arquitetônico e de segurança pública. "Além de desempenhar condições e propriedades de uma estrutura arquitetônica vegetal, possui importantes atributos históricos, artísticos e paisagísticos. A massa vegetal serve diariamente às pessoas que buscam um contato com a natureza, ao realizarem suas atividades urbanas", acrescentou o secretário Trigo.


"Estudos revelam que em regiões vegetadas, a porcentagem de pessoas com problema de saúde é menor, pois além de proporcionar um ambiente refrigerado, ter contato com árvores e com a mata também pode servir de alvo para estratégias ambientais e é nessa linha que estamos atuando", completou o secretário.

Notícias recomendadas para você
BUSCAR NOTÍCIAS